Confira 3 dicas para financiar um veículo

Adquirir um veículo é um sonho de muitas pessoas, mas é necessário ter cautela na hora da compra.

Imagem: Pixabay

Independente do modelo do veículo ou da marca, comprar um carro ou uma moto é um sonho que muitos querem realizar. Entretanto, para não cair nas armadilhas do mercado e acabar pagando um valor alto, é importante ter atenção a certos detalhes.

Pensando nisso, para que você fique em alerta e bem informado para esse momento importante, separamos 3 excelentes dicas de como conseguir financiar o seu veículo, e essas dicas vai facilitar e muito a sua vida, Confira nos próximos tópicos: 

1. Escolha o tipo de Financiamento que seja mais adequado para as suas condições financeiras

O financiamento é uma das formas mais populares de se conseguir um veículo, e por isso existe uma série de modelos, com cada um trazendo desvantagens e vantagens para as taxas, parcelas e modelos de negociação, e esses detalhes não podem ser colocados de lado.

Logo abaixo você pode conferir um resumo de cada modelo para que você tenha uma noção mais real do quanto você pode pagar.

Consórcio

Para as pessoas que não precisam de um veículo urgente, esta com certeza é a opção mais indicada. O consórcio é um modelo que não possui juros, por isso, somente é paga uma taxa de administração. 

O lado negativo deste tipo é que, para um bom financiamento, é necessário ser sorteado pelo consórcio adquirido, ou oferecer um bom valor na entrada.

Banco

Os bancos em si não oferecem planos para pagamentos de veículos, mas é sim possível pegar um empréstimo neles para conseguir comprar um carro à vista. Porém, é importante negociar com o banco as taxas mais baixas dos juros para realizar um empréstimo.

Concessionária

Esse é um dos tipos mais populares entre os compradores de carro. A sua fama se deve ao fato de terem as menores taxas para juros. Em certas concessionárias, as taxas atingem até menos de 1%;

Ela é uma excelente escolha para quem pode planejar uma compra, mas não é a opção mais indicada para quem for comprar o primeiro veículo. Isso acontece pois os valores das parcelas mensais não são muito convidativos.

Leasing

Esta é a alternativa mais indicada para quem já possui bons valores para dar entrada e está com suas contas em dias. A principal vantagem desse modelo, ofertado pelos bancos, é a ausência total dos impostos sobre as operações financeiras, existentes em outros formatos.

Já a desvantagem é que os veículos só passam para o nome de quem comprou depois do término do seu pagamento, mas, mesmo com isso, as taxas mais convidativas são ótimas.

2. Tenha um bom valor de entrada

Independente de qual seja o tipo de compra, a prática da barganha é um excelente modelo para conseguir valores mais justos, tanto para quem compra tanto quanto para quem vende.

No caso de um financiamento dos veículos, a melhor opção para negociar é oferecer uma quantia legal na entrada, principalmente para atingir os melhores valores no mercado.

Considere sempre ter nas mãos cerca de 25% e 30% do valor final desse veículo, para negociar em seus modelos de consórcio, leasing e concessionária. Como são eles que têm modelos com taxas mais diversas dos juros, é possível reduzi-las de uma maneira um pouco mais moderada.

Ah, também lembre-se sempre de se manter firme no momento da negociação. Isso porque, na hora da venda, todos os vendedores vão querer lucrar em cima de você, e caso não mantenha uma postura firme, acabará pagando muito.

3. Considere os custos extras do próprio veículo

Por último, mas não menos importante, saiba que antes de fazer um financiamento de carro você precisa analisar quais são as condições que você possui para arcar com os custos relacionados ao mesmo.

Esses custos variam desde os impostos como o IPVA, até a gasolina, seguros, manutenções, licenciamento e até mesmo as multas não podem ser deixadas de lado na hora de decidir pela aquisição deste veículo.

Imagem padrão
Edson

Iniciando o primeiro período na faculdade de cinema e redator. Trabalhando com a escrita desde 2018, sempre encarei os meus textos com grande responsabilidade, e escrever sobre finanças e economia não vai ser diferente. Descomplicar esses temas para o público geral com certeza é o meu maior desafio, e espero que vocês me acompanhem nessa.

Deixar uma resposta