Autonomia: o que é e como ela te ajuda a escolher o carro certo

A autonomia dos carros indica o quando ele consegue rodar antes de reabastecer, e esse detalhe é essencial para sua vida útil e economia do usuário.

A autonomia em si diz muito sobre o quanto você consegue economizar comprando determinado veículo. É por isso que a decisão da compra não deve passar apenas pelos itens de desempenho ou pelo design.

O consumo de combustível também é essencial, principalmente para os condutores que usam o carro diariamente. Afinal de contas, o veículo econômico pode ser um excelente parceiro para o bolso.

Quem depende do carro para trabalhar sabe muito bem disso. É só parar para pensar o quanto um motorista de aplicativo precisa encher o carro durante a semana.

Em tempos onde o valor do combustível sobe a cada semana, ter um carro com autonomia é essencial. Sabendo disso, confira nos próximos tópicos alguns detalhes sobre essa autonomia e como ela é importante.

Imagem: Pixabay

Autonomia do carro muda de acordo com condução

Descobrir a autonomia do carro é uma tarefa simples, por incrível que pareça. Se você tem um veículo com computador de bordo isso fica mais simples ainda.

Essa autonomia é calculada pela injeção eletrônica, tendo base tanto no estilo da condução do veículo quanto no uso dos componentes que podem demandar um maior consumo do combustível. 

Dessa forma, se você anda o tempo todo de ar-condicionado ligado ou tem o costume de acelerar além do limite, a autonomia do carro é recalculada de forma automática.

Essa média é ajustada através de duas formas. A mais comum acontece quando o valor indicado no painel do carro aumenta quando você começa a guiar de uma forma mais econômica.

A partir daí se entende que, trocar as marchas de forma correta na faixa de rotação certa para o motor, abusar pouco dos aceleradores, antecipar as frenagens e desligar o ar é o ideal, e esses só são alguns exemplos.

Porém, existem outros modelos que não revisam a autonomia do carro. Nesses casos, o computador de borda “congela” o seu valor até que o carro atinja o valor recomendado no painel.

Outros modelos contam com algumas ferramentas que auxiliam o motorista a guiar de maneira mais econômica, e outros trazem a função no sistema de entretenimento, classificando a condução em pontos e levando em consideração alguns fatores como a aceleração, a antecipação à frenagem e as trocas de marcha.

Como descubro a autonomia do meu carro?

Como já apontamos, fazer o cálculo da autonomia fica mais fácil se você tiver computador de bordo nele. Basta completar o tanque e zerar o hodômetro parcial assim que for dar a partida. No caso do seu veículo não ter hodômetro parcial, basta anotar o número exato do hodômetro total.

Após rodar a distância almejada, tudo que você tem que fazer é completar seu tanque novamente e dividir a quantidade abastecida de litros por km apontada no painel dos instrumentos.

Para fazer o cálculo da média com mais precisão, é recomendado que toda a operação seja feita no mesmo posto. Se você ainda tiver dúvidas, a dica preciosa é realizar o procedimento três vezes. Depois disso tudo, basta somar os três resultados e dividir, tendo assim uma média.

Padrões de autonomia variam pelo mundo

O resultado desse cálculo vai te dar a média do veículo em km/l, que é a medida adotada como um padrão na indústria automotiva do Brasil. Porém, é importante ressaltar que certos veículos fabricados fora do país são indicados em l/km, como em países da Europa.

No caso desses veículos, o condutor tem que fazer uma conta rápida para obter a média certa: dividir a distância percorrida pela quantidade de combustível usado.

Outro padrão usado nos Estados Unidos é o das milhas por galão. Independente de qual for a média informada no seu veículo, vale prestar muita atenção antes de consultar a autonomia dele. Afinal de contas, esse número que parece coisa simples para muitas pessoas pode acabar resultando em uma grande economia.

Imagem padrão
Edson

Iniciando o primeiro período na faculdade de cinema e redator. Trabalhando com a escrita desde 2018, sempre encarei os meus textos com grande responsabilidade, e escrever sobre finanças e economia não vai ser diferente. Descomplicar esses temas para o público geral com certeza é o meu maior desafio, e espero que vocês me acompanhem nessa.

Deixar uma resposta