Veja quais são as principais opções de financiamento de veículo

Na hora de comprar um veículo muita gente age na emoção. Entretanto, é necessário analisar todas as opções para conseguir fazer o negócio certo.

Na hora de comprar um veículo não basta escolher a melhor cor ou modelo. Um ponto crucial no momento de adquirir um veículo usado ou novo é saber como ele vai ser pago.

Escolher a melhor modalidade vai lhe garantir um retorno muito mais positivo. A forma de comprar no crédito, devido a crise, vem sendo a principal escolha de boa parte da população. 

São várias as opções, mas cada uma serve para determinada necessidade. Portanto, confira nos próximos tópicos as melhores modalidades para financiamento de veículos que existem no país.

Imagem: Pixabay

Tipos de financiamento de veículo: CDC

Uma das principais modalidades de financiamento é o Crédito Direto ao Consumidor, ou o CDC. Nessa modalidade, o consumidor faz o empréstimo bancário para a compra do veículo.

O automóvel fica no seu nome, mas com a alienação do banco que operou o empréstimo, e isso impede a livre negociação do carro até que todas as parcelas sejam quitadas.

Nessa modalidade as taxas de juros são fixadas na assinatura, quando é cobrado o Imposto Sobre Operações Financeiras. As condições desse financiamento vão variar a depender do banco e de acordo com os contratos. No geral, quanto maior for a soma dada na entrada, melhores serão as condições de contrato.

Consórcio

Outra boa modalidade é o consórcio, que é hoje a segunda mais popular no Brasil. Nesse tipo de financiamento, o comprador participar de um grupo com outros interessados em veículo através de uma administradora de consórcio.

O valor acaba sendo diluído em um prazo determinado e todos os participantes do grupo contribuem ao longo desse período. Não existe a cobrança de juros, mas as taxas adminstrativas sim, caso seja estabelecida em contrato.

A parcela pode flutuar ao longo do contrato de acordo com a variação do valor desse modelo no mercado. Todos os meses a administradora do consórcio contempla um participante, por sorteio ou até mesmo por lance sobre o saldo do valor, como o crédito no valor do bem, até que todos os consorciados consigam ser atendidos.

Caso ocorra inadimplência, o consumidor começa a ser considerado um consorciado excluído, passando a integrar um grupo de consorciados inadimplentes, que vão ter acesso à carta de crédito com os valores corrigidos, mas com a dedução das penalidades já previstas no contrato.

Leasing

Outra modalidade, não tão conhecida ultimamente é o Leasing, que tem características semelhantes com o CDC. Entretanto, o Leasing se caracteriza com a prestação mensal menor em comparação ao financiamento comum, nesse tipo o consumidor tem a posse do automóvel depois da efetivação deste contrato.

Entretanto, o carro fica no nome da empresa de leasing. Os custos da manutenção e a documentação ficam por conta do usuário. Nessa modalidade também não existe a flexibilidade para negociar os prazos de financiamento menores, tendo os contratos a duração mínima de dois anos.

No fim do contrato de leasing, o contratante possui a opção de devolver o carro, pagar o valor residual para transferir o veículo para seu nome, ou renovar o contrato com a “aquisição” do novo automóvel. 

Porém, caso o consumidor se torne inadimplente, o banco consegue retomar a posse do veículo em um tempo menor em comparação com outros financiamentos.

Imagem padrão
Edson

Iniciando o primeiro período na faculdade de cinema e redator. Trabalhando com a escrita desde 2018, sempre encarei os meus textos com grande responsabilidade, e escrever sobre finanças e economia não vai ser diferente. Descomplicar esses temas para o público geral com certeza é o meu maior desafio, e espero que vocês me acompanhem nessa.

Deixar uma resposta