Saiba porque não se pode rebocar um carro elétrico

Muitas pessoas não sabem como lidar com carro elétrico. É comum, por exemplo, precisar rebocar um e não saber como fazer isso.

Existe um procedimento certo para se fazer nessas situações, e você vai conferir como faz isso nesse texto. É bom ressaltar antes que os carros elétricos ainda estão um pouco longe de serem os mais populares no país.

Porém, é possível notar também que eles marcam com mais frequência na cena automotiva brasileira.

De acordo com dados levantados pelo Renavam e divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), foram emplacados no Brasil 2.860 automóveis e comerciais elétricos leves no ano de 2021.

Esse número promete ser mais expressivo ainda no ano de 2022. Apenas entre os meses de janeiro e março, foram licenciados mais de 1.200 carros com motores movidos a bateria. Isso sem incluir a participação de carros híbridos, que contam inclusive com representantes na produção brasileira.

Com  todos esses números fica cada vez mais óbvio que o mercado de motores elétricos cresce e com o mesmo algumas dúvidas ligadas ao funcionamento de carros elétricos ou eletrificados. 

Entre as questões existe uma bem popular: um carro elétrico pode ser rebocado como um carro convencional quando entra em pane? Bem, a resposta é não, mas vamos explicar o porquê a seguir.

Imagem: Pixabay

O que fazer então com o carro elétrico?

Caso esse problema tenha sido ocasionado por uma bateria de 12V arriada, vale dar um destaque para a possibilidade de realizar o procedimento de partida utilizando uma bateria auxiliar. Como ocorre nos carros movidos a combustão, por exemplo.

Porém, no caso de outros problemas é necessário saber que o carro elétrico não pode ser rebocado pois não tem o ponto morto como os carros movidos a combustão, e esse é o principal problema nessa prática.

Nos carros movidos à bateira, a função “N” que fica no seletor de marchas serve somente para desconectar os freios e permitir que o automóvel seja empurrado apenas por poucos metros até um local mais seguro, no caso de uma pane ou falta de carga, por exemplo.

É preciso solicitar um guincho do tipo plataforma para transportar esse tipo de carro eletrificado. De acordo com os fabricantes, nos modelos com tração dianteira, as rodas traseiras não movimentam o carro, mas acionam o sistema que recupera uma parte da carga das baterias durante as frenagens.

Nos carros de tração traseira, ocorre exatamente o contrário: as rodas dianteira não impulsionam o veículo, mas são responsáveis pela recarga parcial quando os freios do carro são acionados.

No caso de um reboque, o propulsor da bateria pode acabar gerando uma eletricidade, e isso vai provocar alguns danos nos sistemas do carro e, nos casos mais extremos, pode até gerar um incêndio no veículo.

O mesmo problema pode acabar acontecendo nos carros híbridos. Forçar o veículo a ser rebocado pode acabar fazendo com que o sistema de regeneração de energia entre em uma pane, e isso vai gerar ainda mais dor de cabeça para o proprietário do veículo.

Por isso, se o seu carro elétrico deu problema no meio da rua, não faça um reboque. Siga as instruções acima que são regras para os carros elétricos e evite acidentes. Você vai garantir a segurança de todos envolvidos na manutenção do seu carro e vai se livrar de dor de cabeça.

Imagem padrão
Edson

Iniciando o primeiro período na faculdade de cinema e redator. Trabalhando com a escrita desde 2018, sempre encarei os meus textos com grande responsabilidade, e escrever sobre finanças e economia não vai ser diferente. Descomplicar esses temas para o público geral com certeza é o meu maior desafio, e espero que vocês me acompanhem nessa.

Deixar uma resposta